Traumatismo

Acidentes que provocam lesões na boca e dentes são comuns, principalmente com bebês e crianças que estão começando a andar.

Em muitos casos ocorrem traumatismos que podem afetar dentes de leite ocasionando o seu “amolecimento” e graves conseqüências futuras, como o comprometimento da dentição permanente. 

A protrusão  de dentes anteriores superiores decíduos e permanentes também é um fator predisponente ao traumatismo, pois ao cair o impacto acontece primeiramente nesta região.

Muitas vezes, o dano é maior do que aparenta ser, por isso, é importante consultar o Odontopediatra tão logo seja possível. Freqüentemente há necessidade de se fazer radiografias e observar o dente durante determinado período.

É comum ocorrer, 2 ou 3 dias após o acidente, mudança de cor ou escurecimento da coroa do dente, podendo ou não ser um indício de perda de vitalidade do dente. Neste caso, o dentista é quem irá indicar o tratamento mais adequado.

A fratura de um ou mais dentes, em conseqüência de traumatismo (tombos, quedas de bicicleta, skate, colisão, etc.), pode danificar o nervo do dente. Deve-se sempre consultar o Dentista, para que ele possa avaliar a extensão do dano, tratar a fratura e prevenir eventuais problemas de vitalidade que possam ocorrer neste dente.

Quando há a quebra do dente (fratura), tanto nos dentes de leite quanto permanentes, deve-se, se possível, recolher o pedaço quebrado e levá-lo juntamente com a criança, para que o Odontopediatra possa fazer a “colagem” e assim reconstruir o dente com seu aspecto original.

Em certas circunstâncias, como impactos horizontais, é comum acontecer à perda total de um dente (avulsão).

Se o dente for de leite, o reimplante não é indicado, pois a probabilidade de sucesso é mínima. No caso de dente permanente, no entanto, é aconselhável fazer o seu reimplante imediato, após delicada lavagem do mesmo com soro fisiológico e procurar o dentista, o mais rápido possível, para que seja feita sua fixação.

Para que se aumentem as chances de sucesso do reimplante, é essencial que determinadas condutas sejam adotadas imediatamente após o acidente:

  • Mantenha a calma e faça a criança morder uma gaze ou pano limpo, com pressão, para controlar o sangramento;
  • Ache o dente;
  • Pegue o dente somente pela coroa. Não toque a raiz;
  • Limpe cuidadosamente o dente com soro fisiológico ou leite morno. Não esfregue;
  • Coloque o dente de volta no seu lugar (no alvéolo) na boca da criança. A parte côncava do dente é voltada para a parte interna da boca. Faça a criança morder a gaze ou pano limpo, para que o dente se mantenha na posição. Procure, imediatamente, o odontopediatra;
  • Se não for possível colocar o dente em sua posição, mantenha-o, por ordem de preferência: em soro fisiológico ou leite morno, ou saliva da própria criança. A água é o meio menos indicado para armazenamento do dente avulsionado. Procure o odontopediatra imediatamente, para que seja feita sua fixação e acompanhamento.

O resultado final do reimplante depende muito do período que o dente ficar fora do alvéolo e da conservação deste neste período. O dente deverá ficar fora de seu alvéolo o menor tempo possível.

É possível prevenir alguns acidentes, principalmente entre crianças que usam aparelhos fixos e praticam esportes individuais ou coletivos como patins, skate, bicicleta, futebol, judô, vôlei, etc., usando protetores bucais que podem ser feitos pelo Dentista. Converse com o seu Odontopediatra a respeito.

Prevenir acidentes sempre, é a melhor opção!*

* Lúcia Coutinho