Sucção de dedo e chupeta

Os hábitos orais normalmente têm início nos primeiros anos de vida. Dentre os hábitos mais comuns na infância podemos citar a sucção do polegar, chupeta, sucção dos lábios e respiração bucal. A sucção do polegar nos primeiros anos de vida pode estar relacionada à mamada rápida demais ou durante a qual houve período de tensão.

Na maioria das vezes os hábitos orais  são esquecidos.

Quando o hábito persiste após os 3 anos de idade, pode acontecer a instalação de uma maloclusão: mordida aberta , mordida cruzada, dentre outras. A mais comum é a mordida aberta anterior na qual observamos projeção para fora dos incisivos decíduos superiores, palato profundo e inclinação dos incisivos inferiores.   

Os pais têm o papel importante no desenvolvimento do hábito de chupar o dedo. Num ambiente familiar e saudável, a criança não tende a abusar desse recurso, considerado até os 2 anos de idade um ato de satisfação natural da necessidade instintiva de sucção. Se persistir depois dos 3 anos de idade é recomendável à avaliação odontológica ou psicológica.

Não se deve punir  a criança por chupar o dedo. Métodos como luvas e aparelhos ortodônticos que diminuem a excitação quando  ela leva o dedo à boca só fazem efeito quando não há um fator psicológico envolvido.  Carinho  e atenção podem ser eficazes do que qualquer coisa.

Se o filho já é grande, os pais com firmeza devem tirar o dedo da criança da boca e reforçar sua atitude com carinho. Se ela não atender o gesto dos pais, ele pode ser tomado como agressão.

A sucção do dedo leva a alterações da arcada dentária como mordida aberta, cruzada ou profunda, dependendo da posição em que o dedo é levado à boca, da força durante a sucção, ou da posição da mandíbula durante a sucção. Essas alterações levam a criança a respirar pela boca, pois deixam a musculatura oral flácida.

Crianças com respiração oral podem apresentar roncos ou baba enquanto dormem, irritabilidade, cansaço fácil em atividades físicas, bruxismo, alterações da postura, apetite diminuído, respiração e mastigação ruidosas, hiperatividade ou sonolência e dificuldade de aprendizagem.


Alguns tópicos importantes sobre a chupeta:

  • A chupeta só deve ser oferecida nos momentos em que a ansiedade e tensão do bebê estão impedindo-o de dormir;
  • Deve ser dada apenas uma chupeta para a criança, pois ela pode se acostumar com várias, ficando mais difícil de remover o hábito;
  • Se a criança utilizar a chupeta para adormecer, os pais devem retirá-la assim que ela pegar no sono;
  • Crianças que chupam chupeta e cheiram paninho freqüentemente, não devem ter a chupeta deixada à mão;
  • A chupeta não deve ser presa com corretinhas ou presilhas. A comodidade não compensa o risco de reforço do hábito, além de aumentar o peso da chupeta;
  • As vezes o bebê fica com a chupeta na boca sem sugar. Os pais devem retirá-la assim que perceberem;
  • Muito amor, carinho e paciência na hora da remoção;
  • Evitar a utilização da chupeta como “rolha” para que o bebê incomode o mínimo possível;
  • O bico da chupeta deve corresponder ao formato do palato e ser usada de maneira correta. São indicadas chupetas  com bicos ortodônticos.

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia , Pediatria  e outras especialidades”