Destaques — 18 outubro 2014
Saúde bucal e qualidade de vida de crianças e adolescentes

Por muito tempo, as pesquisas se preocuparam em abordar os aspectos biológicos das doenças nas populações. Os indicadores usados para determinar o planejamento de ações no âmbito da saúde se baseavam principalmente nos determinantes biológicos e na presença da doença. No campo da odontologia, por exemplo, acreditava-se que a presença da cárie dentária se dava pelo somatório do acúmulo da placa no dente, de uma dieta cariogênica e de uma criança vulnerável. Era um modelo biológico pautado na tríade de Keyes.

Mais recentemente os indicadores socioeconômicos tomaram força. Entre crianças que não escovavam os dentes e comiam doces, começou-se a observar que algumas tinham cárie e outras não. A pergunta “Por que isso acontecia?” ficava sem resposta. Com o conhecimento de que a ocorrência da cárie dentária estava polarizada em determinados grupos, reconheceu-se a forte influência dos indicadores sociais, econômicos, políticos e ambientais.

Ainda assim, os indicadores biológicos e socioeconômicos refletiam a visão do profissional de saúde sobre as medidas necessárias para o bem-estar geral do paciente. Essa abordagem ainda ignorava a percepção do paciente acerca de sua própria condição.

cuidado-dental

As percepções e sensações vivenciadas pelo paciente devem ser levadas em consideração no planejamento das ações em saúde. O julgamento baseado apenas na perspectiva do profissional  pode subestimar alguns aspectos do processo de saúde  e doença  e supervalorizar outros.

A qualidade de vida relacionada à saúde bucal engloba o bem-estar emocional e social.

A saúde deve ser vista como um recurso para a vida,  e não como objetivo de viver. Os indicadores de qualidade de vida associada à saúde medem o quanto os aspectos da vida do indivíduo, nos âmbitos físico, psicológico, material e social, são afetados pela doença.

O impacto sobre o bem-estar físico está relacionado à restrição das atividades físicas e às limitações dos papéis sociais, como trabalho, escola, administração do lar e recreações. O impacto sobre o bem-estar mental se manifesta por condições afetivas, como o estado emocional, a ansiedade e a depressão, e por condições cognitivas, como falta de concentração e raciocínio. O impacto social está relacionado à integração do indivíduo à comunidade, aos contatos sociais e seus relacionamentos.

Crianças sorrindo

Os problemas de saúde bucal podem causar dor e, consequentemente, interferir no bem-estar físico do indivíduo. A dor pode causar dificuldades de mastigação, afetando a alimentação e a nutrição da criança e do adolescente.

Ao mesmo tempo, os problemas bucais podem afetar o bem-estar social, por alterar o sono, diminuir o rendimento na escola e afetar a fala ou a disposição em sorrir, interferindo na socialização e na comunicação.

Como a infância/adolescência  é uma época importante para fazer amizades e socializar, tais aspectos são particularmente preocupantes em relação a esse grupo, pois podem ter prejuízos na capacidade de se relacionar com outras crianças, trazendo problemas na escola.

Além disso, os problemas de saúde também afetam o bem-estar emocional, já que o isolamento pode afetar a autoestima do indivíduo, acarretando problemas na sua qualidade de vida.

Fonte: Paiva; S.M; Martins; C.C; Pordeus;I.A - Qualidade de vida e saúde bucal , pág.23 e 24  do livro Odontopediatria
Ed. Artes Médicas/2014.

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

 

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>