Destaques — 01 outubro 2014
Ações do Odontopediatra

Um dos princípios básicos da odontologia moderna é não intervir antes que as ações de promoção de saúde tenham tido a oportunidade de funcionar. Nesse sentido, os odontopediatras são convidados a repensar a sua prática e exercer um novo papel dentro da odontologia.

As atribuições do dentista em âmbito local podem ser direcionadas para o fortalecimento de ações comunitárias, o desenvolvimento de habilidades pessoais e a reorientação dos serviços de saúde.

O Odontopediatra além de ser o profissional da área da saúde também deverá ser um educador.

Serviços odontológicos promotores de saúde envolvem a presença de profissionais com visão ampliada sobre o processo saúde-doença, capazes de entender as pessoas, levando em consideração os vários aspectos de sua vida, e não apenas um conjunto de sinais e sintomas restritos à cavidade bucal. O odontopediatra não se preocupa exclusivamente com os dentes, mas sim com o paciente como um todo levando em consideração vários aspectos inerentes as características individuais do paciente pediátrico. Tanto nos estados de saúde como nos de enfermidade, a saúde bucal pode influir sobre o funcionamento de outros sistemas orgânicos, a exemplo, o respiratório, sendo muitas vezes, o odontopediatra o primeiro profissional da saúde a ter contato com o portador da síndrome da respiração bucal, por isso deve estar atento às suas características, encaminhando o paciente para tratamento multidisciplinar envolvendo os odontopediatras/ortodontistas, fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas.

Ação social

A primeira consulta, através da anamnese, possibilitará ao odontopediatra coletar informações relevantes acerca de sua saúde desde o período gestacional até o momento atual, estabelecendo assim, uma oportunidade de diálogo com os pais além da comunicação visual e verbal com a própria criança.

A coleta de informações a respeito dos hábitos de higiene, alimentares e nocivos que a criança porventura já possua, deverá ser realizada nesta consulta e à medida que for necessário e possível, corrigi-los e reorientá-los, para que o núcleo familiar adquira hábitos saudáveis..

Outro importante dado para compor o planejamento do tratamento odontopediátrico diz respeito aos diferentes perfis psicológicos que a criança pode apresentar e são determinados pelo seu desenvolvimento mental, personalidade e experiências anteriores vividas. Cuidados devem ser enfatizados, no sentido de evitar o estabelecimento de possíveis traumas psicológicos.

Traumas psicológicos determinam, quase sempre, a fixação de relações de incompatibilidade com o profissional, com o ambiente clínico e, logicamente, com os procedimentos que virão a ser realizados. Em verdade, a ação clínica do odontopediatra deve incluir uma avaliação global da criança com uma visão bio-psico-social, possibilitando ampliar o conhecimento específico do indivíduo e da sua inserção social e familiar, planejando atendimento odontológico que atenda as suas necessidades, favorecendo assim a execução de uma odontologia de alto padrão e específica a cada paciente pediátrico.

Criança x odontopediatra

Com prevenção, orientação e carinho, o Odontopediatra pode construir uma geração Cárie Zero, livre de problemas de oclusão e sem medo de ir ao dentista.

 

* Lúcia Coutinho

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>