Destaques — 13 maio 2014
Controle da placa ou biofilme dental

É na infância o período ideal para a aquisição de hábitos adequados de higiene bucal para o desenvolvimento de bocas saudáveis.

A odontopediatria tem um papel fundamental como promotora de saúde e incentivadora de atitudes que priorizam saúde, tanto por parte da criança quanto de seu núcleo familiar.

A placa ou biofilme dental são colônias bacterianas que se instalam nas superfícies dentais de forma estruturada e organizada.

O livre acúmulo de biofilme nas superfícies dentais pode levar à dissolução da esmalte dental, favorecendo a formação de cárie.

O controle do biofilme pode ser feito por meios mecânicos (meio mais seguro para a limpeza dental) ou químicos (com restrições).

Enquanto o bebê não tem dentes, não há risco do aparecimento da cárie e se estiver sendo amamentado com o leite materno, este não precisa ser removido, pois exerce um efeito protetor.

A indicação de limpeza da cavidade bucal do bebê desdentado com o uso de gaze ou tecidos embebidos em água filtrada pode ser realizada uma vez ao dia, após o terceiro mês, servindo como uma pré-adaptação aos cuidados de higiene bucal. Para esse procedimento, o bebê deve estar em posição de amamentação, sendo a limpeza feita com o uso de massageadores bucais, dedeiras de silicone, gaze estéril ou fraldas especiais envoltas no dedo indicador da mãe ou cuidadora do bebê.

Após a erupção dos primeiros dentes de leite formam-se nichos para o acúmulo de bactérias, tornando-se necessária a higiene com as escovas dentais.

A escova e o fio dental são os principais objetos de escolha para este controle. Os pais devem realizar a escovação de seus filhos até a idade escolar e, depois de 7 ou 8 anos supervisionar a escovação.

Na primeira infância as crianças ainda não possuem desenvolvimento motor suficiente para uma escovação eficiente. A limpeza com o fio dental, por exigir maior coordenação motora, deve ser realizada pelos responsáveis. A partir da adolescência com melhor coordenação, este pode se responsabilizar sozinho pela higiene oral.

As escovas dentais são designadas a diferentes faixas etárias e as escova elétricas, a não ser para crianças ou adultos com dificuldade motora, não obtém consenso em relação a serem mais eficientes que as tradicionais.

Para crianças que possuem alguma deficiência motora pode-se utilizar alguns artefatos que tornam os cabos mais anatômicos.

O dente possui cinco faces para serem limpas: a superfície oclusal, responsável pela mastigação, em que devemos fazer movimentos de vai e vem com a escova; as superfícies vestibular ( parte da frente do dente) e lingual (parte de trás do dente) que devem ser limpas, posicionando-se a escova a 45 graus entre a gengiva e o dente, fazendo-se movimentos de cima para baixo na arcada superior e de baixo para cima na arcada inferior; além de ser preciso escovar também a língua e a parte interna das bochechas. As faces laterais dos dentes são limpas com o uso do fio ou fita dental.

É indicado o uso de creme dental com flúor, prescrito pelo Odontopediatra.

* Lúcia Coutinho

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>