Destaques — 13 agosto 2013
Educação do paciente hebiatra quanto à saúde bucal

O adolescente é contestador e transita por diversas transformações orgânicas e psicossociais.

Durante essa fase, encontra-se entre os limites da dependência infantil e da autonomia do adulto.

De acordo com o critério físico ou biológico, a adolescência abrange a fase de modificações anatomofisiológicas, que transforma a criança em adulta.

As alterações hormonais interferem muito na parte periodontal e é comum ocorrer aumento da permeabilidade vascular, o que pode provocar sangramento, mesmo em gengivas com boa higienização. E nas meninas, durante a gravidez precoce ou mesmo na menarca, o pH da cavidade bucal pode diminuir, aumentando a concentração de bactérias circundantes, favorecendo a desmineralização dos dentes.

Nessa etapa, ainda , os adolescentes estão sofrendo intensas modificações físicas, que refletem no comportamento, apresentando alta taxa de estresse, favorecendo a queda do pH da cavidade bucal. Portanto, nós profissionais, devemos reforçar aos adolescentes a importância da higienização correta para a manutenção da saúde bucal, orientando-os, ensinando, sempre adequando nossas conversas a faixa etária.

A motivação quanto à higiene bucodentária na adolescência é uma difícil tarefa, pois envolve a modificação de hábitos adquiridos durante toda a infância.

O profissional, durante a motivação, deve lançar mão de diversos recursos, tais como escova de dentes, fio dental, macromodelos, folhetos, evidenciadores de biofilme e material de audiovisual para incentivar e ensinar aos adolescentes técnicas de higienização.

Para os jovens, ter dentes bonitos e hálito fresco é importante para serem aceitos num determinado grupo. Segundo alguns autores é interessante estabelecer uma rotina para a aquisição de bons hábitos de higiene bucal, devendo existir um “ método de ligação”, onde novas rotinas sejam introduzidas e relacionadas a outras já estabelecidas.

O adolescente deve ser encorajado a ser responsável pela sua saúde bucal e deve ter consciência da sua  importância no contexto geral de saúde.

Os evindenciadores são substâncias capazes de corar o biofilme, permitindo sua visualização e facilitando sua remoção através do uso de fio dental e escovação. Realizando a evidenciação no paciente hebiatra, o profissional pode orientá-lo a melhorar a higienização, pois o corante permite visualizar onde há ineficácia na remoção do biofilme.

A avaliação periódica da presença de biofilme também permite que o profissional, juntamente com o paciente, verifique a capacidade de manter uma higiene bucal correta, corrigindo deficiências quando necessário.

Fonte: Livro:  Manual de Odontohebiatria; Bussadori,S.K; Milton,S.M; 2ª ed.- São Paulo: Santos, 2012

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>