Destaques — 19 janeiro 2013
Escovas dentais

As escovas dentais, após serem utilizadas para a higiene bucal mecânica e armazenadas em condições usuais,tornam-se contaminadas por diferentes tipos de bactérias, vírus, leveduras e parasitas intestinais.

Esses microrganismos podem ser provenientes da cavidade bucal ou do meio ambiente, os quais encontram-se firmemente aderidos às cerdas, podendo servir como reservatório para sua inoculação/reinoculação.

Deve-se ressaltar que esses microrganismos podem permanecer viáveis nas cerdas por períodos variando de 24 horas a 7 dias.

Após a escovação, as escovas dentais de uma forma geral também tornam-se contaminadas especificamente por estreptococos do grupo mutans. Esses microrganismos permanecem viáveis por até 8 horas.

No caso de crianças de pouca idade, que frequentam creches e escolas, onde as escovas são guardadas erroneamente em frascos conjuntos, pode ocorrer o contato direto entre as cerdas e a transmissão de patógenos de uma criança para outra.

Desinfecção de escovas dentais

Segundo alguns autores, a desinfecção de uma escova deveria ser iniciada logo após a primeira utilização, para prevenir a formação do biofilme bacteriano sobre a sua superfície. A seguir a desinfecção deveria ser realizada diariamente, até que a escova fosse trocada, o que segundo a American Dental Association (1984), deve ocorrer a cada 3 meses.

A melhor opção para a desinfecção das escovas é lavar a mesma após o uso, remover o excesso de água e borrifar um anti-séptico acondicionado em frasco spray (adquirido em farmácias de manipulação), em todas as direções da cabeça da escova, particularmente nas cerdas.

Em seguida, a escova pode ser guardada no armário do banheiro.

Antes da próxima escovação, a escova deve ser lavada em água corrente. Após a escovação, não secar a escova com toalha de banho ou de rosto, pois isso pode aumentar ainda mais a contaminação.

Essa é uma forma pratica e econômica de se efetuar a desinfecção das escovas, uma vez que o mesmo frasco pode ser utilizado por todos os membros da família.

O agente microbiano empregado para desinfecção das escovas, dentre outros é o gluconato de clorexidina a 0,12%, que também pode ser produzido em farmácias de manipulação.

Deve-se ressaltar que o impacto dessas medidas sobre a saúde bucal, em longo prazo, permanece desconhecido justificado, mais uma vez, a necessidade de estudos adicionais.

* Livro: odontopediatria - Bases Científicas para a Prática Clínica; Assed; S.

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>