Destaques — 23 novembro 2012
Doenças e lesões bucais

AFTAS

São pequenas feridas em forma de úlceras que podem aparecer isoladas ou em grupo. Aparecem nas mucosas da boca como bochechas, lábios e língua.

A presença de aftas na boca dificulta a mastigação, devido à dor, e serve de porta de entrada para outras infecções. Duram em média duas semanas.

Podem surgir por causas diversas: deficiência imunológica (baixa resistência), traumas (batidas de escovas de dente ou talher), alimentação ácida, alergias, infecções por bactérias, fungos ou vírus e reações a medicamentos, como anti-inflamatórios ou antibióticos.

Não há um causa específica e sempre existe um componente hereditário bastante importante.

Se a criança tiver predisposição a aftas, os pais devem prestar atenção aos fatores desencadeantes, como por exemplo, a falta de higiene bucal ou contaminação por alimentos mal higienizados.

Outras causas podem ser ainda a ingestão de medicamentos sem prescrição médica, alimentos muito ácidos, chocolates, frutas ácidas, estresse e fatores emocionais.

Existem substancias para combater a dor e o aparecimento das aftas, portanto os pais devem entrar em contato com o odontopediatra para melhor orientação.

Não recomendamos usar substâncias cáusticas porque, apesar de suavizar os sintomas, dificultam a regeneração da mucosa. Para evitar infecções secundárias, sugerimos bochechos com antissépticos bucais.

CANDÍASE-SAPINHO

Causada por fungo,atinge crianças em fase de baixa imunidade.

Durante o nascimento, pode ocorrer a infecção em razão do controle direto com o micro-organismo no trato vaginal.

Nas crianças maiores, a candidíase pode ser decorrente do uso constante de corticóides e antibióticos de largo espectro.

A lesão apresenta-se como placas esbranquiçadas parecidas com leite coalhado. Geralmente não são dolorosas.

O tratamento é realizado com medicamentos tópicos e antifúngicos orais.

LÍNGUA SABURROSA

A falta de higienização da língua faz com que se acumulem camadas de placas bacterianas como se fosse um limo, o saburro, a ponto de causar mau hábito.

Ocorre também quando a mastigação é deficiente, sem alimentos sólidos que promoveriam um auto limpeza.

Isso ocorre, por exemplo, em episódios longos de febre, gripes, resfriados e outras doenças.

O tratamento recomendado é a escovação da língua e o uso de raspador lingual para remoção do saburro.

 HALITOSE

É conhecido como mau hálito.

Causado geralmente por doenças intra bucais  como cárie, língua saburrosa, gengivite e periodontite (inflamação dos tecidos ao redor dos dentes).

Portanto é de extrema importância que a cavidade bucal esteja bem higienizada.

Além desses aspectos, há outros que também devem ser avaliados:

- Presença de lesões nas bochechas, lábios e gengivas.

- Época de erupção dentária com a presença da gengivite, devido a dificuldade de higienização.

- Gripes, sinusites,amidalites,faringites e rinites.

- Ansiedade, estresse, fobias.

- Doenças sistêmicas: disfunção renal, hepática, diabetes e alteração hormonal.

É muito comum que as pessoas apresentem halitose ao acordar.

Isto ocorre devido ao ressecamento da boca, pois a salivação durante o sono diminui.

A halitose pode causar algum constrangimento para a criança, podendo causar alterações  emocionais. Portanto deve ser investigada na primeira consulta odontológica.

A halitose em si não é uma doença, é um sinal revelador de que algo não está bem no organismo.

QUEILITE ANGULAR

É uma inflamação que ocorre pelo acúmulo de saliva no canto da boca, com leve inchaço, vermelhidão e rachaduras ou fissuras. Poderá estar associada à candidíase.

Nas crianças, as causas mais comuns da queilite angular são a hipersalivação, os agentes infecciosos  ou micóticos e a deficiência nutritiva (de ferro e riboflavina).

Crianças que babam muito e estão sempre com chupeta favorecem a infecção por bactérias e fungos. Pacientes que usam aparelhos ortodônticos requerem atenção redobrada, pois favorecem a contaminação.

O frio pode ser outro agente causador dessa inflamação, por ressecar os lábios, causando uma fissura na região. Essa fissura servirá como porta de entrada para fungos e bactérias.

Recomendamos que os cantos da boca estejam sempre secos e higienizados.

Para o tratamento, é necessária uma avaliação preliminar para descobrir o agente causador. O cirurgião dentista que irá indicar a medicação correta.

* Livro: Saúde Bucal do Bebe ao Adolescente; Correia, M.S.N

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>