Destaques — 08 novembro 2012
Flúor tópicos – Dentifrícios

Flúor tópicos – Dentifrícios

A escolha do método de aplicação tópica de fluoretos, bem como a freqüência do uso, dependerá do risco ou da atividade de cárie do paciente. A manutenção da concentração de flúor na saliva e a formação de produtos de reação no esmalte-dentina estão diretamente relacionados.

Flúor tópico

O flúor tópico é aquele aplicado diretamente sobre os dentes já erupcionados. Pode ser aplicado sob a forma de soluções para bochechos, gel, mousse, verniz e por meio de pastas fluoretadas utilizadas na escovação.

Estas são as formas mais eficientes e seguras de se aplicar o flúor tópico.

Dentifrícios com flúor

O uso de dentifrícios fluoretados tem grande valor e importância na prevenção.

O uso constante da pasta na boca, pelo menos três vezes ao dia, faz com que o flúor seja mantido em contato com a superfície dos dentes em baixa concentração, o que é eficiente o bastante.

Seu uso é indicado para crianças a partir de três anos de idade, desde que não engulam. As pastas devem conter 1.100 ppm de flúor.

Entre dois e três anos de idade, se a criança já adquiriu alguma coordenação motora para aprender a cuspir, e também se já está com a dentadura completa, pode ser usada a pasta de 500 ppm de concentração de flúor na última escovação da noite.

A quantidade de pasta usada deve ser mínima, do tamanho de um grão de arroz cru, ou colocada apenas nos três primeiros tufos das cerdas.

O uso freqüente dos dentifrícios associado à desorganização e/ ou remoção do biofilme (placa bacteriana) durante o ato mecânico da escovação favorece que o flúor tenha eficácia terapêutica, por estar presente constantemente na cavidade bucal.

Dentifrícios Antiplaca

São aqueles contendo substâncias antibacterianas com o objetivo de reduzir a formação de placa dental, mantendo uma quantidade compatível com saúde-doença.

A eficiência de uma substância antibacteriana depende da sua concentração e tempo de ação. Neste aspecto a cavidade bucal é um local atípico para a eficiência de uma substância antibacteriana devido a produção contínua de saliva e o conseqüente efeito diluente.

Com relação a saúde o relevante seria manter um controle adequado de placa dental. Neste aspecto a dificuldade é manter o indivíduo motivado por um tempo prolongado.

A maior preocupação com o uso de dentifrício ocorre na infância, pois os dentes estão em formação e a ingestão desse composto em excesso pode levar ao desenvolvimento da fluorose dental, que se caracteriza por alteração na translucidez e linhas brancas horizontais, nos casos mais leves.

A média de ingestão de flúor proveniente do dentifrício é da ordem de 68% do total de flúor que a criança ingere diariamente. Alguns cuidados devem ser adotados para prevenir a ingestão, dentre eles:

* Não deixar o produto ao livre alcance da criança;

* Orientação aos pais ou responsáveis e à criança;

* Recomendar que se coloque o dentifrício no sentido menor da escova, pois a quantidade ficará reduzida;

* Não escovar os dentes de estômago vazio, pois engolir o dentifrício aumenta a sua absorção.

* Livros: Saúde Bucal do Bebê ao Adolescente - Editora Santos
                   Fundamentos de Odontologia - Editora Santos

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>