Destaques — 05 outubro 2012
Tratamento odontológico na adolescência

Os adolescentes constituem uma população que apresenta características e atitudes singulares e necessidades igualmente distintas.

A adolescência é considerada uma fase de transição entre a infância e a juventude. Segundo a OMS, este período é compreendido entre os 10 a 19 anos de idade.

Na adolescência os indivíduos sofrem várias mudanças hormonais, psicológicas e comportamentais. Portanto é muito importante que o profissional da área odontológica, seja especializado no atendimento de adolescentes (hebiatra), usando uma abordagem diferenciada para o adolescente se sentir acolhido, criando um vínculo de confiança que levará ao sucesso do tratamento odontológico.

A preocupação do cirurgião dentista com os adolescentes não está associada especificamente ao tratamento odontológico, mas principalmente em ajustá-los às mudanças e ao desenvolvimento do aspecto emocional, psicossocial e cognitivo.

Na maioria dos casos o adolescente mostra-se negligente com seus cuidados a saúde, e é nesse período em decorrência da higiene precária que o risco de cárie aumenta, podendo também em alguns casos ocorrer: doença periodontal, gengivite e halitose.

O adolescente tem que ter consciência de que é importante tratar essas doenças e preveni-las.

Nesse período são necessárias consultas periódicas para que o dentista possa sempre avaliar o risco de cárie do adolescente naquele momento e instituir um programa preventivo individual para cada cliente.

A finalidade dessas consultas é manter a integridade dos elementos dentários e a saúde periodontal.

O Odontohebiatra (dentista de adolescentes) também deve orientar o adolescente quanto à dieta, pois os adolescentes possuem hábitos alimentares não muitos saudáveis, que variam de acordo com seu estilo de vida (época de vestibular, faculdade, estágio, etc.).

É comum o consumo indiscriminado de alimentos como doces, refrigerantes, balas e salgadinhos, que além de serem pobres em nutrientes, podem causar a doença cárie ou a erosão dentária.

O profissional deve estar atento a esses hábitos alimentares do adolescente e orientá-lo a fazer uma dieta que não seja proibitiva, mas que restrinja o consumo de tais alimentos, que podem ser substituídos por opções mais saudáveis.

A abordagem inicial ao adolescente feita pelo profissional determinará o sucesso das consultas. É muito importante que este profissional estabeleça uma aproximação com o adolescente, pois sua função é estimular e melhorar o seu interesse nos hábitos de higiene bucal, usando corretamente a escova, o fio, enxaguatórios bucais e raspadores de língua.

Ser um profissional de saúde que se responsabiliza por monitorar os principais aspectos de saúde oro-facial do adolescente é uma tarefa que requer não apenas vastos conhecimentos,  mas também saber ouvi-lo com uma atitude compreensiva e acolhedora, mostrando que entendemos as mudanças pelas quais eles estão passando.

Com isto teremos não só maior adesão ao tratamento, mas também maior satisfação interna.

* Lúcia Coutinho

“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de Odontopediatria, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia , Pediatria  e outras especialidades”

Artigos Relacionados

Share

About Author

Marta Meireles

Pequena descrição falando de cada membro (médico ou colaborador) do site.

(0) RComentários dos Leitores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>